PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL CONTINENTAL

(em compras superiores a 15€)

PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL CONTINENTAL (em compras superiores a 15€)

  • 0 Items - 0,00
    • Carrinho vazio.

PROMOÇÕES

Promoção válida para os títulos assinalados com etiqueta de 30%. Limitada ao stock existente.

PROMOÇÕES

Promoção válida para os títulos assinalados com etiqueta de 30%. Limitada ao stock existente.

O Prazer

13,16

“María Hesse é um daqueles novos diamantes em bruto da ilustração.”  Harper´s Bazaar

Da mesma autora de Frida Kahlo – uma biografia

K-Pop: Uma História de Amor

11,19

Conheceres o teu ídolo e viveres uma intensa história de amor?

Nada é impossível no mundo K-pop!

Romance sobre o universo deste género musical, fenómeno mundial com milhares de fãs.

A última carta

13,23

A aguardada sequela do fenómeno romântico mundial P. S. Eu amo-te (mais de 1 milhão de exemplares vendidos)

Quando o amor é eterno, há sempre algo mais para dizer

Amor em 59 poemas

9,80

AMOR – Sentimento que induz a aproximar, a proteger ou a conservar a pessoa pela qual se sente afeição ou atracção; grande afeição ou afinidade forte por outra pessoa.

Descubra o único sentimento que faz girar o mundo através das palavras de poetas de diferentes tempos e lugares.

Bowie

13,61

NÃO SOU FIEL A NENHUM ESTILO.

ESCOLHEREI SIMPLESMENTE AQUELE QUE ME PERMITA TRANSMITIR O QUE QUERO NAQUELE MOMENTO.

Fala-me de um dia perfeito

11,65

Mais de 100 000 exemplares vendidos em três meses nos Estados Unidos.

Bestseller do New York Times.

Uma história de amor redentora, agora também um filme Netflix, com Elle Fanning como protagonista.

O dia em que perdemos o amor

13,61

Depois do sucesso internacional de “O dia em que perdemos a cordura” Javier Castillo regressa com um thriller que explora os limites do amor.

«Eram dez da manhã do dia 14 de Dezembro. Um pé descalço pisou o asfalto de Nova Iorque e uma sombra feminina desenhou-se à sua frente. O outro pé pousou com cuidado, tocando no chão com os seus finos dedos cheios de sujidade. Estava nua, com a pele pálida, as pernas e os pés enegrecidos e o seu comprido cabelo castanho a dançar ao som dos do trânsito. A cintura bamboleava suavemente de um lado para o outro a cada passo que dava; andava devagar, como se não quisesse fazer barulho. A rapariga atravessava a estrada enquanto os veículos lhe tocavam levemente, fazendo o seu coração vibrar. Parou um segundo a meio da faixa central e observou um autocarro dar uma guinada para se desviar dela no último momento.»

Yoga do Riso

12,38

Aprenda, com o criador do movimento, a rir naturalmente e descubra porque é que o riso é o melhor remédio para o corpo e para a mente.