• 0 Items - 0,00
    • Carrinho vazio.

Diga-nos quanto tempo vai de férias, nós dizemos-lhe que livros levar

Publicado a 12/07/2022, na categoria: Artigos, Destaque

Passamos o ano inteiro a fazer a contagem decrescente para os meses de verão porque é o momento de por o bronze em dia, dar mergulhos no mar, fazer castelos na areia com as crianças, mas também o momento de devorar aqueles livros que prometemos ler há meses e para os quais acabámos por não ter assim tanto tempo.

 

É agora altura de fazer as malas para as férias e, como todos os milímetros contam, encaixar biquínis, sapatos e livros tem alguma ciência. O espaço é limitado e escolher que livros levar pode ser mais difícil do que conjugar peças de roupa. Por isso, desta vez, a Penguin Magazine dá-lhe uma ajuda. Fizemos uma seleção de obras que deve incluir na bagagem se for para fora uma semana, uma mais vasta se viajar durante duas semanas e outra mais pequena se, este ano, só conseguir descansar durante um fim de semana.

 

Para quem tem 2 semanas de férias

Se é fã de thrillers, Rede de segredos é uma aposta segura – garantem as críticas, que não param de elogiar a tensão e o sentido de humor de Chandler Baker. Aproveitando a mesma adrenalina,  Joël Dicker volta a reunir Marcus Goldman e Perry Gahalowood em O caso Alaska Sanders. O palácio de papel é, sem dúvida, um dos romances deste verão, e Canções em Ursa Maior tem música a acompanhar. Não esquecer o mais recente livro de João Tordo, Naufrágio, e Vidas seguintes, a obra do Prémio Nobel da Literatura, Abdulrazak Gurnah.

Canções em Ursa Maior

17,96

Bestseller do New York Times * Melhor livro da Amazon

Por trás de cada grande sucesso, está uma história de amor ainda maior.

Situado na névoa embriagadora dos anos 70 e cheio de música, sexo e hedonismo banhado pelo sol, Canções em Ursa Maior é uma estreia inesquecível e a banda sonora de uma história de amor como nenhuma outra.

Naufrágio

15,71

O novo romance de João Tordo conta-nos a história de um homem à deriva, enredado nos seus fantasmas e obrigado a enfrentar a mais terrível das acusações.

O caso Alaska Sanders

20,66

Uma intriga viciante, com reviravoltas surpreendentes a suceder se a um ritmo imparável, como é apanágio de Joël Dicker , um dos grandes mestres do mistério literário.

O palácio de papel

17,96

BESTSELLER #1 DO NEW YORK TIMES

UM ROMANCE DE ESTREIA ESCOLHIDO PELO CLUBE DE LEITURA DE REESE WITHERSPOON E ACLAMADO PELA CRÍTICA.

Fascinante e surpreendente, O palácio de papel, de Miranda Cowley Heller, ilumina, de forma brilhante, as tensões entre desejo e segurança, legado e tragédia, e os segredos que todas as famílias escondem.

Rede de segredos

19,76

Bestseller do New York Times

Escolha do club de leitura da Reese Whiterspoon

Escolha do editor da Amazon

Escolha da Oprah´s Magazine

Mentiras serão reveladas

Segredos serão expostos

E nem todos sobreviverão

Vidas Seguintes

18,89

Abdulrazak Gurnah foi agraciado com o Prémio Nobel de Literatura 2021 «pela forma determinada e humana com que aborda e aprofunda as consequências do colonialismo e o destino do refugiado no fosso entre culturas e continentes».

Para quem tem 1 semana de férias

Olho da rua vai fazê-lo rir e vai fazê-lo refletir sobre a selva que é o mercado de trabalho (e a vida?) atual. É mordaz, perspicaz e um romance com descrições e considerações incrivelmente certeiras de Dulce Garcia.  Hugo Gonçalves não precisa de apresentações e oferece O coração dos homens, enquanto Bernardine Evaristo apresenta Mr Loverman. Para terminar as leituras da semana propomos Divórcio, o romance experimental, negro e espirituoso de Susan Taubes.

Divórcio

18,89

Experimental, negro e espirituoso, é o único romance de Susan Taubes, uma das mentes mais interessantes do século XX. 

O coração dos homens

14,99

Um grupo de rapazes cresce numa Cidade-Estado de onde se expulsaram as mulheres e onde o pugilismo foi elevado a desporto nacional.

Reféns da violência e da carnalidade, de que matéria podem ser feitos os homens, enquanto vítimas e carrascos da tirania?

Olho da rua

16,61

Um romance que traz para o universo da ficção a realidade do quotidiano urbano do século XXI: trabalha-se para viver e vive-se para trabalhar.

No escasso tempo que sobra, ficamos à mercê de quem nos paga o salário e de uma irremediável solidão.

Mordaz e cru, Olho da rua traz à tona a mesquinhez do ser humano e de uma sociedade garrotada pela competição. Povoada por figuras com quem nos cruzamos todos os dias, mas de quem desconhecemos o lado oculto, eis uma sátira irresistível do nosso mundo e uma alegoria sobre o instinto de sobrevivência e o impulso de liberdade.

Para quem tem apenas um fim-de-semana

A pediatra, O perfume das flores à noite e Sonechka. São três livros curtos que se leem muito depressa, sobretudo por serem viciantes. O primeiro é a obra mais recente de Andréa del Fuego, vencedora do Prémio Saramago. Como protagonista tem uma mulher invulgar, que não se encaixa nas categorias da sociedade. É casada mas não tem nem deseja ter filhos, vive uma sexualidade plena fora de portas e é pediatra mas detesta crianças.

O segundo é um texto magnífico de Leïla Slimani, que combina uma viagem pela memória com uma reflexão instigante.

Por último, Sonechka, de Ludmila Ulitskaya, é uma história subtil e inteligente sobre o destino de uma mulher na Rússia no século XX.

A pediatra

14,99

Cecília não encaixa em estereótipos: é casada mas não tem nem deseja ter filhos, quase nem olha para o marido mas vive uma sexualidade plena fora de portas, e é pediatra mas detesta crianças.

O novo romance de Andréa del Fuego, escritora distinguida com o Prémio José Saramago, conta-nos a história desconcertante de uma mulher invulgar que toma as rédeas do seu destino.

Sonechka

12,92

Uma história subtil e inteligente sobre o destino de uma mulher, tendo como pano de fundo a História da Rússia no século xx — o regime soviético e o seu desmoronamento.

Partilhar

Diga-nos quanto tempo vai de férias, nós dizemos-lhe que livros levar

Publicado a 12/07/2022, na categoria: Artigos, Destaque

Passamos o ano inteiro a fazer a contagem decrescente para os meses de verão porque é o momento de por o bronze em dia, dar mergulhos no mar, fazer castelos na areia com as crianças, mas também o momento de devorar aqueles livros que prometemos ler há meses e para os quais acabámos por não ter assim tanto tempo.

 

É agora altura de fazer as malas para as férias e, como todos os milímetros contam, encaixar biquínis, sapatos e livros tem alguma ciência. O espaço é limitado e escolher que livros levar pode ser mais difícil do que conjugar peças de roupa. Por isso, desta vez, a Penguin Magazine dá-lhe uma ajuda. Fizemos uma seleção de obras que deve incluir na bagagem se for para fora uma semana, uma mais vasta se viajar durante duas semanas e outra mais pequena se, este ano, só conseguir descansar durante um fim de semana.

 

Para quem tem 2 semanas de férias

Se é fã de thrillers, Rede de segredos é uma aposta segura – garantem as críticas, que não param de elogiar a tensão e o sentido de humor de Chandler Baker. Aproveitando a mesma adrenalina,  Joël Dicker volta a reunir Marcus Goldman e Perry Gahalowood em O caso Alaska Sanders. O palácio de papel é, sem dúvida, um dos romances deste verão, e Canções em Ursa Maior tem música a acompanhar. Não esquecer o mais recente livro de João Tordo, Naufrágio, e Vidas seguintes, a obra do Prémio Nobel da Literatura, Abdulrazak Gurnah.

Canções em Ursa Maior

17,96

Bestseller do New York Times * Melhor livro da Amazon

Por trás de cada grande sucesso, está uma história de amor ainda maior.

Situado na névoa embriagadora dos anos 70 e cheio de música, sexo e hedonismo banhado pelo sol, Canções em Ursa Maior é uma estreia inesquecível e a banda sonora de uma história de amor como nenhuma outra.

Naufrágio

15,71

O novo romance de João Tordo conta-nos a história de um homem à deriva, enredado nos seus fantasmas e obrigado a enfrentar a mais terrível das acusações.

O caso Alaska Sanders

20,66

Uma intriga viciante, com reviravoltas surpreendentes a suceder se a um ritmo imparável, como é apanágio de Joël Dicker , um dos grandes mestres do mistério literário.

O palácio de papel

17,96

BESTSELLER #1 DO NEW YORK TIMES

UM ROMANCE DE ESTREIA ESCOLHIDO PELO CLUBE DE LEITURA DE REESE WITHERSPOON E ACLAMADO PELA CRÍTICA.

Fascinante e surpreendente, O palácio de papel, de Miranda Cowley Heller, ilumina, de forma brilhante, as tensões entre desejo e segurança, legado e tragédia, e os segredos que todas as famílias escondem.

Rede de segredos

19,76

Bestseller do New York Times

Escolha do club de leitura da Reese Whiterspoon

Escolha do editor da Amazon

Escolha da Oprah´s Magazine

Mentiras serão reveladas

Segredos serão expostos

E nem todos sobreviverão

Vidas Seguintes

18,89

Abdulrazak Gurnah foi agraciado com o Prémio Nobel de Literatura 2021 «pela forma determinada e humana com que aborda e aprofunda as consequências do colonialismo e o destino do refugiado no fosso entre culturas e continentes».

Para quem tem 1 semana de férias

Olho da rua vai fazê-lo rir e vai fazê-lo refletir sobre a selva que é o mercado de trabalho (e a vida?) atual. É mordaz, perspicaz e um romance com descrições e considerações incrivelmente certeiras de Dulce Garcia.  Hugo Gonçalves não precisa de apresentações e oferece O coração dos homens, enquanto Bernardine Evaristo apresenta Mr Loverman. Para terminar as leituras da semana propomos Divórcio, o romance experimental, negro e espirituoso de Susan Taubes.

Divórcio

18,89

Experimental, negro e espirituoso, é o único romance de Susan Taubes, uma das mentes mais interessantes do século XX. 

O coração dos homens

14,99

Um grupo de rapazes cresce numa Cidade-Estado de onde se expulsaram as mulheres e onde o pugilismo foi elevado a desporto nacional.

Reféns da violência e da carnalidade, de que matéria podem ser feitos os homens, enquanto vítimas e carrascos da tirania?

Olho da rua

16,61

Um romance que traz para o universo da ficção a realidade do quotidiano urbano do século XXI: trabalha-se para viver e vive-se para trabalhar.

No escasso tempo que sobra, ficamos à mercê de quem nos paga o salário e de uma irremediável solidão.

Mordaz e cru, Olho da rua traz à tona a mesquinhez do ser humano e de uma sociedade garrotada pela competição. Povoada por figuras com quem nos cruzamos todos os dias, mas de quem desconhecemos o lado oculto, eis uma sátira irresistível do nosso mundo e uma alegoria sobre o instinto de sobrevivência e o impulso de liberdade.

Para quem tem apenas um fim-de-semana

A pediatra, O perfume das flores à noite e Sonechka. São três livros curtos que se leem muito depressa, sobretudo por serem viciantes. O primeiro é a obra mais recente de Andréa del Fuego, vencedora do Prémio Saramago. Como protagonista tem uma mulher invulgar, que não se encaixa nas categorias da sociedade. É casada mas não tem nem deseja ter filhos, vive uma sexualidade plena fora de portas e é pediatra mas detesta crianças.

O segundo é um texto magnífico de Leïla Slimani, que combina uma viagem pela memória com uma reflexão instigante.

Por último, Sonechka, de Ludmila Ulitskaya, é uma história subtil e inteligente sobre o destino de uma mulher na Rússia no século XX.

A pediatra

14,99

Cecília não encaixa em estereótipos: é casada mas não tem nem deseja ter filhos, quase nem olha para o marido mas vive uma sexualidade plena fora de portas, e é pediatra mas detesta crianças.

O novo romance de Andréa del Fuego, escritora distinguida com o Prémio José Saramago, conta-nos a história desconcertante de uma mulher invulgar que toma as rédeas do seu destino.

Sonechka

12,92

Uma história subtil e inteligente sobre o destino de uma mulher, tendo como pano de fundo a História da Rússia no século xx — o regime soviético e o seu desmoronamento.

Partilhar