• Em promoção!
Todas as Almas

Todas as Almas

ALFAGUARA , Outubro 2019

Uma magnífica história de desejo, solidão, amor e vaidade na cidade dos pináculos.

A jovem professora Clare Bayes atrai o olhar de muitos colegas num jantar da universidade de Oxford. Entre os que a cobiçam está o nosso narrador sem nome, um professor espanhol desesperado por escapar ao tédio da conversa com um economista obeso. Clare e o nosso narrador não tardarão a explorar o fascínio mútuo em encontros furtivos em... Ler mais

A jovem professora Clare Bayes atrai o olhar de muitos colegas num jantar da universidade de Oxford. Entre os que a cobiçam está o nosso narrador sem nome, um professor espanhol desesperado por escapar ao tédio da conversa com um economista obeso.

Clare e o nosso narrador não tardarão a explorar o fascínio mútuo em encontros furtivos em quartos de hotel, longe da vigilância do marido da amante. Nas horas deixadas vagas pelo pouco trabalho e pelo amor ilícito, o narrador vagueia pelas ruas de Oxford, cidade de abundantes vaidades inflamadas e de outras tantas almas perdidas. É na cidade dos pináculos que se cruza com o dramático destino do escritor John Gawsworth, enigmática figura saída de outros tempos.

Recordando os tempos de Oxford já confortavelmente instalado numa vida normal em Madrid, com emprego, mulher e filho, o nosso narrador não pode deixar de se interrogar sobre qual das vidas é mais real, sobre qual dos tempos ficará para sempre gravado em si.

Sexto romance de Javier Marías, publicado em 1989, Todas as almas inspira-se nos dois anos que o autor viveu em Oxford como professor de Tradução. Nestas páginas, Marías exibe já esplendidamente a ironia fina e a aguçada capacidade de reflexão sobre o maior mistério de sempre: os outros.

Os elogios da crítica:

«Ler os livros de Javier Marías é um desafio e uma descoberta. E uma lição de vida para quem aceite a proposta de neles morar.»
António Lobo Antunes, sobre Todas as almas

«Um livro de escrita belíssima, com um singular humor negro e que, misteriosamente, toca o leitor com as vozes que ecoam dentro dele, as vozes dos mortos a que Javier Marías dá vida com uma arte profunda e subtil.»

John Banville

«Se Javier Marías deu à personagem alguma das suas próprias características, é porque tem por hábito tratar qualquer vida, incluindo a sua, da mesma forma que enfrenta a literatura que gosta de ler e escrever: contando o mistério sem o explicar.»

Elide Pitarello

«Javier Marías é, na minha opinião, um dos melhores escritores contemporâneos.»
J. M. Coetzee

«Javier Marías é um dos mais importantes escritores vivos.»
Claudio Magris

«De longe o melhor prosador espanhol contemporâneo. Um enorme escritor.»
Roberto Bolaño

«Entre os escritores que deveriam receber o Nobel, está Javier Marías.»
Orhan Pamuk

«Um escritor profundamente necessário, um cavaleiro andante; divertido, incisivo, cheio de ira e amor.»
The Guardian

«Javier Marías escreve com elegância, inteligência e um extraordinário mistério.»
The Times Literary Supplement

«Elegante, cerebral, Marías é um escritor de talento impressionante. A sua prosa é ambiciosa, irónica, filosófica e humana.»
The New York Times

Ler menos
Colecção
ALFAGUARA
Páginas
224
Idade recomendada
Adultos
Formato
Capa mole
Idioma
PT
Data de publicação
2019-10-01
Autor
Javier Marías
Editora
ALFAGUARA
Colecção
ALFAGUARA
Páginas
224
Idade recomendada
Adultos
Formato
Capa mole
Idioma
PT
Data de publicação
2019-10-01
Autor
Javier Marías
Editora
ALFAGUARA
9789896658144
2019-10-01
Não há opiniões
Javier Marías
Javier Marías
Ver mais
Javier Marías nasceu em Madrid, em 1951. É um dos mais destacados escritores espanhóis da actualidade. É autor, entre outros romances, livros de contos e de ensaio, de vários romances publicados em Portugal pela... Ler mais

Javier Marías nasceu em Madrid, em 1951. É um dos mais destacados escritores espanhóis da actualidade. É autor, entre outros romances, livros de contos e de ensaio, de vários romances publicados em Portugal pela Alfaguara: Berta Isla (Prémio da Crítica), Assim começa o mal, Os enamoramentos (Prémio Giuseppe Tomasi di Lampedusa, Prémio Qué Leer), Coração tão branco (Prémio da Crítica em Espanha, Prix l'Oeil et la Lettre, IMPAC Dublin Literary Award), Amanhã na batalha pensa em mim (Prémio Fastenrath, Prémio Rómulo Gallegos, Prix Fémina Étranger), Todas as almas, além da trilogia O teu rosto amanhã e do volume de contos Não mais amores.

Pelo conjunto da sua obra, recebeu vários prémios: Em 1997, o Prémio Nelly Sachs, em Dortmund; em 1998, o Prémio Comunidad de Madrid; em 2000, os prémios Grinzane Cavour, em Turim, e Alberto Moravia, em Roma; em 2008, os prémios Alessio, em Turim, e José Donoso, no Chile; e, em 2011, o Prémio Nonino, em Udine, e o Prémio Literário Europeu.

Entre as traduções de sua autoria, destaca-se a de Tristram Shandy. Foi professor na Universidade de Oxford e na Universidade Complutense de Madrid.

A sua obra encontra-se publicada em quarenta idiomas e cinquenta países, com oito milhões de exemplares vendidos em todo o mundo.

Ler menos
Ver mais
Subscreva a nossa newsletter de novidades editoriais

Actualidad

Artigos relacionados com este livro

Opiniões

Opiniões

Não há opiniões
Artigo adicionado à wishlist