• Em promoção!
Jalan Jalan

Jalan Jalan

COMPANHIA DAS LETRAS , Novembro 2017

O mundo, dizem, é um livro. E um livro também pode conter o mundo.

GRANDE PRÉMIO DE LITERATURA DE VIAGENS MARIA ONDINA BRAGA,

ATRIBUÍDO PELA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ESCRITORES

Partindo das suas muitas viagens, Afonso Cruz apresenta neste livro a sua leitura do mundo, um passeio que nos leva a lugares tão diversos como a geografia, a arte, a ciência, a filosofia e a literatura. Partilhando com o leitor as suas experiências, sugere que façamos com ele percursos idênticos, bastando, para passear assim, dar «um passo... Ler mais

Partindo das suas muitas viagens, Afonso Cruz apresenta neste livro a sua leitura do mundo, um passeio que nos leva a lugares tão diversos como a geografia, a arte, a ciência, a filosofia e a literatura. Partilhando com o leitor as suas experiências, sugere que façamos com ele percursos idênticos, bastando, para passear assim, dar «um passo para o lado ou usar a imaginação». O resultado poderá ser, se aceitarmos o convite, uma visão nova do mundo.

«Apesar da beleza da paisagem, dos campos de arroz, do verde omnipresente, dos templos hindus, dos macacos zangados, uma das melhores coisas que trouxe de Bali foi uma oferta do João, que embrulhou e me ofereceu uma palavra, talvez duas: Jalan significa rua em indonésio, disse-me. Também significa andar. Jalan jalan, a repetição da palavra, que muitas vezes forma o plural, significa, neste caso, passear. Passear é andar duas vezes. (...) Passear é o que fazemos para não chegar a um destino, não se mede pela distância nem pela técnica de colocar um pé à frente do outro, mas sim pelo modo como a paisagem nos comoveu ou como o voo de um pássaro nos tocou. É um pouco como a arte, tem o valor imenso de tudo aquilo que não tem valor nenhum. Pode não ter razão, destino, objectivo, utilidade, e é exactamente aí que reside a riqueza do passeio. Não existem profissionais do passeio. Chesterton, que era um grande apologista do amador, dizia que as melhores coisas da vida, bem como as mais importantes, não são profissionalizadas. O amor, quando é profissionalizado, torna-se prostituição.»

Os elogios da crítica:

«Afonso Cruz é um passeante a escrever sobre a matéria de que é feito o escritor e a literatura que produz: Jalan Jalan, espécie de enciclopédia, também livro de memórias.»
Isabel Lucas, Público

«Jalan Jalan, de Afonso Cruz, constitui um caso especial para quem gosta de ler boa literatura e para quem exige um pouco mais, ou muito mais do que a boa história. (...). Qual a matéria-prima desta obra? É a vida, mesma. Mais do que a imaginação. Nota-se que há matéria vivida. Afonso Cruz está a atingir a maturidade da escrita, afirmando-se como um autor que vale a pena ler e cultivar. Afonso Cruz usa a sua capacidade criativa em vários tabuleiros para nos entusiasmar na arte extraordinária e inesgotável da leitura.»
Guilherme de Oliveira Martins, Ensaio Geral, Renascença

«A leitura de Jalan jalan, de Afonso Cruz, transmite a sensação estética de se estar em presença de um autor em plena maturidade literária e filosófica. Aproveite, caro leitor.»
Miguel Real, Visão

«Já uma vez escrevi que Afonso Cruz é um dos autores mais cultos da sua geração, e este livro, na sua prosa fluida, no modo inteligente como nos dá a conhecer o mundo, é prova bastante.»
Eduardo Pitta, Sábado

«Este livro pode ler-se em sentido único, da primeira à última página, ou deambulando, para trás e para a frente, de texto em texto (…). O autor até dá uma ajuda para uma ordem e leitura alternativa: no fim de cada texto remete-se para outros que têm afinidades com ele. Jalan jalan torna-se, assim, uma espécie de labirinto onde cabem todos os assuntos do mundo.»
Pedro Dias de Almeida, Visão

«Jalan jalan não se destina a ser lido de uma vez. Não poucos dos textos contêm pensamentos que exigem pausa e meditação.»
Luís Faria, Expresso

«Jalan Jalan concede-lhe um novo lugar na literatura portuguesa deste terceiro milénio. (…) Afonso Cruz passa a ter um mundo próprio com 26 luas a rodar o planeta das suas escritas, tantas como as letras do nosso alfabeto.»
João Céu e Silva, Diário de Notícias

«Um livro desafiador, Jalan jalan, cujo significado é passear em indonésio, levará qualquer leitor ao reencontro da sua consciência, esse lugar feito de sonhos (ainda) por cumprir.»
Blogue Ler-te

Ler menos
Colecção
Companhia Das Letras
Páginas
656
Idade recomendada
Adultos
Formato
Capa dura
Idioma
PT
Data de publicação
2017-11-01
Autor
Afonso Cruz
Editora
COMPANHIA DAS LETRAS
Colecção
Companhia Das Letras
Páginas
656
Idade recomendada
Adultos
Formato
Capa dura
Idioma
PT
Data de publicação
2017-11-01
Autor
Afonso Cruz
Editora
COMPANHIA DAS LETRAS
9789896652289
2017-11-01
Não há opiniões
Afonso Cruz
Afonso Cruz
Ver mais
Afonso Cruz é escritor, ilustrador, cineasta e músico da banda The Soaked Lamb. Em Julho de 1971, na Figueira da Foz, era completamente recém-nascido, e haveria, anos mais tarde, de frequentar lugares como a... Ler mais

Afonso Cruz é escritor, ilustrador, cineasta e músico da banda The Soaked Lamb.

Em Julho de 1971, na Figueira da Foz, era completamente recém-nascido, e haveria, anos mais tarde, de frequentar lugares como a António Arroio, as Belas-Artes de Lisboa, o Instituto Superior de Artes Plásticas da Madeira e mais de meia centena de países. Assina, desde Fevereiro de 2013, uma crónica mensal no Jornal de Letras, Artes e Ideias sob o título «Paralaxe».

Recebeu vários prémios e distinções nas diversas áreas em que trabalha, vive no campo e gosta de cerveja.

Os seus livros estão publicados em vários países.

www.afonsocruz.booktailors

Ler menos
Ver mais
Subscreva a nossa newsletter de novidades editoriais

Actualidad

Artigos relacionados com este livro

Opiniões

Opiniões

Não há opiniões
Artigo adicionado à wishlist