Chico Buarque é um dos mais precisos e inspirados artistas latino-americanos. Porém, com Essa gente, o seu romance mais recente, esse olhar parece atingir uma amplitude inédita: Manuel Duarte, um escritor sexagenário, deambula pelo Rio de Janeiro, e guia-nos por uma divina comédia de exclusão e privilégio. Um músico negro crivado de balas pela polícia, um decreto que facilita o uso das armas de fogo, um jato privado cheio de cocaína, as luxuosas festas da nova casta política, uma manifestação reprimida com ferocidade, um sem-abrigo brutalmente espancado, um casal gay violentado pelo poder evangelista, o elegante bairro do Leblon e a dura realidade da favela do Vidigal… Fascinado com este romance e devoto da obra de Buarque, o grande compositor argentino Fito Páez entrevistou-o para se embrenhar ainda mais neste fresco de vozes e personagens que, nas suas feridas e tragédias pessoais, reconstroem a memória fragmentada de um Brasil assolado pela injustiça e pelos processos políticos dos últimos anos.