APROVEITE ATÉ 31 DE AGOSTO – PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL

APROVEITE ATÉ 31 DE AGOSTO – PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL

  • 0 Items - 0,00
    • Carrinho vazio.

Shop

17,01

Preço fixo até 30/04/2019 (?)

Preço livre (?)

O meu nome era Eileen

«O meu nome era Eileen Dunlop. Agora já me conhecem. Eu tinha vinte e quatro anos e um emprego no qual recebia 57 dólares por semana. Uma semana mais tarde, fugiria de casa para nunca mais voltar. Esta é a história de como eu desapareci.»

Vencedor do Prémio PEN/Hemingway * Finalista do Man Booker Prize

Em stock

Também disponível em EBOOK nas seguintes lojas:

pgn_btn_4
pgn_btn_3
pgn_btn_5
pgn_btn_1b

Caraterísticas

Chancela

Autor(a) Ottessa Moshfegh

ISBN 9789896652418

Data de publicação Maio de 2017

Páginas 264

Dimensões 150x235mm

Género Ficção, Literatura

Partilhar

O Natal é uma época que tem muito pouco para oferecer a Eileen Dunlop, uma rapariga modesta e perturbada, presa a um emprego enfadonho como secretária num instituto de correcção de menores e forçada a cuidar de um pai alcoólico. Eileen tempera os seus dias vazios com fantasias perversas e sonhos de fuga para uma cidade grande. Enquanto não o consegue, entretém-se a fazer pequenos furtos na loja de conveniência e a fantasiar com Randy, um guarda do reformatório com corpo de homem e cabeça de rapaz.

Quando Rebecca Saint John, uma ruiva vistosa, alegre e inteligente, é contratada como a nova psicóloga do reformatório, Eileen é incapaz de resistir à sedução de uma amizade que promete transformar a sua vida. Mas, numa reviravolta digna de Hitchcock, o poder de Rebecca sobre Eileen converte a rapariga em cúmplice de um crime a que pode ser impossível escapar. Com a paisagem nevada da Nova Inglaterra como pano de fundo, a história de Eileen é arrepiante, hipnótica e divertida.

Com um primeiro romance cheio de força, que agarra e perturba o leitor até à última página, Ottessa Moshfegh faz uma entrada retumbante nas letras norte-americanas.

Sobre O meu nome era Eileen:

«Eileen não se parece com nada nem com ninguém. Está viva, é de carne e osso.» New York Times Book Review

«Uma obra extraordinária, sempre obscura e surpreendente. Eileen é um dos narradores mais estranhos, decadentes, patéticos e inadaptados que encontrei na literatura e, no entanto, à sua maneira, é também inimitável e profundamente marcante. Acreditem: nunca tinha lido algo remotamente parecido.» Washington Post

«Pensem em Eileen como uma personagem de Flannery O´Connor passeando por um romance de Raymond Chandler. O meu nome era Eileen é um romance tão retorcido, obscuro e surpreendente como a sua protagonista.» Entertainment Weekly

«Eileen é dolorosamente viva e humana. Como evocação da miséria física e psicológica, O meu nome era Eileen é um romance original, corajoso e hábil.» The Guardian

«Uma jovem escritora que possui uma visão muito inteligente dos recantos mais obscuros da psique humana.» Wall Street Journal

«Uma estreia obscura e perturbadora.» Publishers Weekly

«Um primeiro romance maravilhosamente inquietante. Eileen é mordaz e divertida... Uma personagem verdadeiramente original e gloriosamente desagradável, suja e surpreendente.» San Francisco Chronicle

«O meu nome era Eileen ilumina a relação simbiótica entre o amor e o ódio, a esperança e a desilusão, e, para o leitor, entre a repulsa e o fascínio absoluto.» New York Magazine

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “O meu nome era Eileen”

O seu endereço de email não será publicado.

Relacionados