APROVEITE ATÉ 31 DE AGOSTO – PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL

APROVEITE ATÉ 31 DE AGOSTO – PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL

  • 0 Items - 0,00
    • Carrinho vazio.

Shop

15,21

Preço fixo até 30/04/2021 (?)

Preço livre (?)

Anatomia dos mártires

Um romance que parte da vida da lendária Catarina Eufémia para reflectir sobre a história recente de Portugal.

Em stock

Também disponível em EBOOK nas seguintes lojas:

pgn_btn_4
pgn_btn_2
pgn_btn_3
pgn_btn_5
pgn_btn_1b

Caraterísticas

Autor(a) João Tordo

ISBN 9789896656133

Data de publicação Maio de 2019

Páginas 336

Dimensões 145x230mm

Género Ficção, Literatura

Partilhar

No epicentro da crise financeira em Portugal, um jornalista demasiado ambicioso decide provar ao seu editor - Raul Cinzas, o inveterado comunista que os leitores de Tordo conhecerão de Biografia Involuntária dos Amantes - que é capaz de muito mais do que ser um mero repórter.

Aproveitando a entrevista a um biógrafo de um mártir religioso, o jornalista faz uma analogia com a história de Catarina Eufémia,

a camponesa assassinada, em 1954, por um tenente da GNR a mando da PIDE.

Ícone da Esquerda revolucionária, Catarina Eufémia é uma figura envolta em

mistério e objecto de exaltação, mais de cinquenta anos após a sua morte.

Os ânimos estão inflamados pela contestação à austeridade imposta pelo Governo, e a publicação do artigo provoca acesas reacções na opinião pública. No rescaldo da convulsão, Cinzas é encontrado em coma numa rua de Lisboa, talvez brutalizado por defender o malfadado artigo. Também o jovem jornalista, nosso narrador,

se encontra a braços com uma situação pessoal e profissional precária e se interroga sobre o que existirá por trás do mito para provocar tamanhos ódios e paixões.

É então que decide investigar a vida e a morte de Eufémia, procurando decifrar

o nevoeiro que envolve os mitos e os mártires de que a História sempre se apodera. Inculto da dimensão da ditadura que sufocou o país antes do 25 de Abril, o que descobre no caminho é bem diferente do que esperava.

Sobre a obra de João Tordo:

«João Tordo tem uma capacidade enorme de efabulação que não se encontra facilmente.» José Saramago

«Tal como o Nobel José Saramago, João Tordo põe em questão, com o seu talento, a crença numa identidade própria à qual nós, os humanos, estamos apegados.» Le Monde, França

«Um romance que se abre em escuridão e labareda, para que nos vejamos ao espelho.» José Tolentino Mendonça (sobre O luto de Elias Gro)

«Uma escrita vibrante, capaz de momentos de grande intensidade

expressiva ou de inesperado lirismo.» José Mário Silva, Expresso (sobre O luto de Elias Gro)

«Há-de guardar lugar próprio e intransmissível entre as melhores obras da literatura portuguesa contemporânea.» João Gobern, Diário de Notícias (sobre O luto de Elias Gro)

«Tordo não dá respostas. Alimenta cuidadosamente a ambiguidade,

o paradoxo, como se fizessem parte de um silêncio cujo mistério não quer desvendar.»

Isabel Lucas, Público (sobre O Paraíso segundo Lars D.)

«João Tordo cria dois palcos contíguos, que equilibra entre o atrevimento cruel que o realismo comanda e o clima introspectivo que dele resulta, conjugados com particular desenvoltura e absoluta eficácia.»

Lídia Jorge (sobre O deslumbre de Cecilia Fluss)

«Um romance extraordinário, que se lê à transparência de um talento mais do que confirmado, porventura único entre nós, na primeira linha das vozes literárias da geração a que pertence.» João de Melo (sobre O deslumbre de Cecilia Fluss)

«A trilogia dos lugares sem nome, assinada por João Tordo, está entre

o melhor que a literatura portuguesa nos ofereceu nos últimos vinte

ou trinta anos.» Pedro Miguel Silva, Deus me livro

«Uma narrativa com um cunho muito próprio e um dos registos mais pessoais e intensos desta geração.» João Céu e Silva, Diário de Notícias (sobre Ensina-me a voar sobre os telhados)

«Um romance poderoso, inquietante e profundamente lírico.» Helena Vasconcelos, Público (sobre Ensina-me a voar sobre os telhados)

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Anatomia dos mártires”

O seu endereço de email não será publicado.

Relacionados