• Em promoção!
Antologia poética

Antologia poética

COMPANHIA DAS LETRAS , Novembro 2015

A antologia definitiva de um dos grandes poetas de língua portuguesa,

obra universal e intemporal.

Vinicius de Moraes foi um dos maiores poetas brasileiros do século xx. Três décadas após a sua morte, permanece uma referência incontornável da literatura e da cultura em língua portuguesa, cuja obra marcou - marca ainda - gerações de leitores. Esta Antologia poética reúne cinquenta anos de poesia de um homem cujo espírito apaixonado e... Ler mais

Vinicius de Moraes foi um dos maiores poetas brasileiros do século xx. Três décadas após a sua morte, permanece uma referência incontornável da literatura e da cultura em língua portuguesa, cuja obra marcou - marca ainda - gerações de leitores. Esta Antologia poética reúne cinquenta anos de poesia de um homem cujo espírito apaixonado e irreverente, como poeta, dramaturgo e letrista, determinou um «antes» e um «depois» de Vinicius. A acompanhar os poemas, um belo caderno de imagens do poeta, assim como reproduções de manuscritos e documentos raros. Um conjunto inédito, organizado por Antonio Cicero e Eucanaã Ferraz, que lança um novo olhar sobre a vida e obra do «poetinha», amado com igual fervor dos dois lados do Atlântico.

Os elogios à obra de Vinicius:

«O show português de Vinicius restabeleceu muita comunicação que se havia perdido, ajudou muita gente a redescobrir que a existência não é só uma chatice e que amar o próximo não é só um preeito para ensinar aos filhos na catequese.»
Alexandre O'Neill

«Vinicius de Moraes é um dos poucos poetas que conserva no seio da modernidade toda a força da grande tradição lírica da língua portuguesa. Decerto porque não teve medo de ser profundamente humano em tudo o que escreveu.»

Antonio Candido

«Vinicius é o único poeta brasileiro que ousou viver sob o signo da paixão. Quer dizer, da poesia em estado natural. Eu queria ter sido Vinicius de Moraes.»
Carlos Drummond de Andrade

«Vinicius fez da tristeza, que não tem fim, sua musa. E por isso pôde, como poucos, acariciar a felicidade.»
José Castello

«Porque ele tem o fôlego dos românticos, a espiritualidade dos simbolistas, a perícia dos parnasianos e, finalmente, homem bem do seu tempo, com a liberdade, a licença, o esplêndido cinismo dos modernos.»
Manuel Bandeira

«Tal como os seus poemas, Vinicius foi um homem simples mas difícil; a arte com que constrói os seus sonetos é prova disso. Estes alcançam a profundidade dos grandes sonetistas de expressão portuguesa e contribuem para a imagem deste poeta como um pensador especialmente vívido, ardente e sincero.»
Rodrigo Abecassis, Observador

Ler menos
Colecção
Companhia Das Letras
Páginas
336
Idade recomendada
Adultos
Formato
Capa mole
Idioma
PT
Data de publicação
2015-11-01
Autor
Vinicius de Moraes
Editora
COMPANHIA DAS LETRAS
Colecção
Companhia Das Letras
Páginas
336
Idade recomendada
Adultos
Formato
Capa mole
Idioma
PT
Data de publicação
2015-11-01
Autor
Vinicius de Moraes
Editora
COMPANHIA DAS LETRAS
9789898775344
2015-11-01
Não há opiniões
i
Vinicius de Moraes
Vinicius de Moraes
Ver mais
Vinicius de Moraes nasceu a 19 de Outubro de 1913 no Rio de Janeiro, onde morreu 66 depois, a 9 de Julho de 1980. Estudou Direito no Brasil e Língua e Literatura Inglesa em Inglaterra. Iniciou a sua carreira... Ler mais

Vinicius de Moraes nasceu a 19 de Outubro de 1913 no Rio de Janeiro, onde morreu 66 depois, a 9 de Julho de 1980. Estudou Direito no Brasil e Língua e Literatura Inglesa em Inglaterra. Iniciou a sua carreira como diplomata em 1946, em Los Angeles, como vice-cônsul, e depois em Montevideu e Paris.

Homem de paixões, viveu uma relação intensa com a poesia e com a música, deixando-nos obras de um lirismo imorredouro, como a peça Orfeu da Conceição, que, na sua adaptação ao cinema, recebeu a distinção de Melhor Filme Estrangeiro em Cannes. A parceria com António Carlos Jobim veio dar continuidade a este feliz casamento da música e da poesia e dela nasceu um dos hinos da Bossa Nova, Garota de Ipanema. Estreou-se na poesia com O Caminho da Distância, em 1933, a que se seguiram Forma e Exegese (1935), Ariana, a Mulher (1936), Novos Poemas (1938), Cinco Elegias (1943), Poemas, Sonetos e Baladas (1946) e Pátria Minha (1949).

Reconhecidamente um dos mais importantes poetas de língua portuguesa do século XX brasileiro, deixou vastíssima obra publicada, tanto musical como dramatúrgica ou poética. Em Portugal, na Companhia das Letras, estão publicados: Antologia poética (2015), Orfeu da Conceição (2016), Para viver um grande amor (2017), Livro de letras (2017), Livro de sonetos (2018) e Todo amor (2019).

Ler menos
Ver mais
Subscreva a nossa newsletter de novidades editoriais

Actualidad

Artigos relacionados com este livro

Opiniões

Opiniões

Não há opiniões
i
Artigo adicionado à wishlist