APROVEITE ATÉ 30 DE SETEMBRO – PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL

(não acumulável com outras promoções)

APROVEITE ATÉ 30 DE SETEMBRO – PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL (não acumulável com outras promoções)

 

  • 0 Items - 0,00
    • Carrinho vazio.

Shop

18,86

Preço fixo até 31/08/2024 (?)

Preço livre (?)

Junto ao Mar

Um enredo empolgante sobre exílio, memória, amor e traição, sob o pano de fundo da História e das relações tensas entre África e a Europa.

Prémio Nobel de Literatura 2021

Em stock

Também disponível em EBOOK nas seguintes lojas:

pgn_btn_4
pgn_btn_3
pgn_btn_5
pgn_btn_1b

Caraterísticas

Chancela

Tradutor(a) Eugénia Antunes

ISBN 9789896236250

Data de publicação Setembro de 2022

Edição atual 1.ª

Páginas 296

Apresentação capa mole

Dimensões 150x225mm

Género Ficção, Literatura

Partilhar

Fugindo de uma paradisíaca ilha de Zanzibar em plena revolução, Saleh Omar aterra no Aeroporto de Gatwick como requerente de asilo político, afirmando não saber inglês.

Consigo traz apenas uma caixa de mogno contendo o mais requintado incenso e um passaporte falso.

Para comunicar com ele, os serviços sociais recorrem ao seu conterrâneo Latif Mahmud, também ele exilado em Inglaterra.

Quando os dois homens se encontram numa pequena cidade junto ao mar, este último acusa o primeiro de roubar a identidade do seu pai e de ser o responsável pela ruína da sua família.

Será apenas o começo de uma longa história com duas versões diferentes, que liga os seus passados turbulentos durante e após a revolução, num ajuste final de contas.

Romance magistral sobre a perda e a busca de identidade em terra de exílio, Junto ao Mar é uma história sobre honra, traição e redenção, que convida o leitor a redescobrir a história da África pós-colonial e os mitos do oceano Índico que brotam da memória coletiva.

Os elogios da crítica:

«A dedicação de Gurnah à verdade e a sua aversão à simplificação são admiráveis.» — Comité do Nobel de Literatura

«Um romance envolvente, repleto de observações oportunas sobre o racismo, o imperialismo e o desconhecimento das realidades africanas.» — The New York Times

«Gurnah é um contador de histórias exímio.» —  Financial Times

«Quase não ousamos respirar com medo de quebrar o encanto da leitura.» — Times

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Junto ao Mar”

O seu endereço de email não será publicado.

Relacionados