PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL CONTINENTAL

(em compras superiores a 15€)

PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL CONTINENTAL (em compras superiores a 15€)

  • 0 Items - 0,00
    • Carrinho vazio.

Shop

15,71

Preço fixo até 31/01/2020 (?)

Preço livre (?)

A boneca de Kokoschka

Esta é uma história sobre a importância do outro.

Os destinos cruzados deste romance iluminam o modo como as nossas relações, encontros, criações e circunstâncias formam a nossa identidade, nos fazem crescer e nos permitem, um dia, percebendo que a porta da nossa gaiola está aberta, abrir as asas e, sem recear a liberdade, conquistar um pouco de céu.

«Não existe mentira na literatura, na ficção, e, digo-lhe mais, não existe verdade na vida real.»

Esgotado

Também disponível em EBOOK nas seguintes lojas:
Apenas disponível em EBOOK nas seguintes lojas:

pgn_btn_2
pgn_btn_3
pgn_btn_5
pgn_btn_1b

Caraterísticas

Autor(a) Afonso Cruz

ISBN 9789896652685

Data de publicação Fevereiro de 2018

Páginas 280

Apresentação capa mole

Dimensões 145x230x19mm

Género Ficção, Literatura

Disponibilidade Temporariamente Esgotado na Editora. Ver outras Lojas

Partilhar

Durante a segunda guerra mundial, em Dresden, um rapaz judeu chamado Isaac esconde-se na cave de uma loja de pássaros. Sobrevivendo às toneladas de bombas que caem sobre a cidade, Isaac Dresner construirá a sua vida à volta dos livros, recuperará histórias e fará nascer outras. Mostra assim como acontecimentos fortuitos, inusitados ou insignificantes - entre eles, a existência da boneca de Kokoschka - são tão cruciais para tecer os nossos destinos quanto aqueles que, pela imponência, julgamos serem os únicos fundamentais.

«Numa loja de pássaros é onde se concentram mais gaiolas. Não há lugar nenhum no mundo construído com tantas restrições como uma loja de pássaros. São gaiolas por todo o lado. E algumas estão dentro dos pássaros e não por fora, como as pessoas imaginam. Porque Bonifaz Vogel, muitas vezes, abrira as portas das gaiolas sem que os canários fugissem.

Os pássaros ficavam encolhidos a um canto, tentando evitar olhar para aquela porta aberta, desviavam os olhos da liberdade, que é uma das portas mais assustadoras. Só se sentiam livres dentro de uma prisão. A gaiola estava dentro deles.

A outra, a de metal ou madeira, era apenas uma metáfora.»

 

Os elogios da crítica:

«Como um mestre joalheiro, Afonso Cruz conseguiu, em A boneca de Kokoschka, uma peça de arte e a proeza de, em cada página, nos oferecer pérolas perfeitas.» Pedro Justino Alves, Diário Digital

«Uma estrutura magnífica de inventividade estética.» Miguel Real, Jornal de Letras, Artes e Ideias

«Um delirante e muito sensato exercício da imaginação e do virtuosismo em volta da relação fun(da)cional entre o Eu e o Outro.» Eugenio Fuentes, La Nueva España

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “A boneca de Kokoschka”

O seu endereço de email não será publicado.

Relacionados