14,99 

Uma valsa com a morte

Partindo da música e da literatura, João Tordo regressa ao ensaio, com um conjunto de textos onde explora a relação humana com a espiritualidade e a religião, assim como o medo que nos limita, o optimismo que nos impele, a melancolia que nos afunda e a possibilidade da alegria e da comunhão.

735 em stock

Também disponível em EBOOK:

Características

Autor(a) João Tordo

ISBN 9789897849206
Data de publicação Maio de 2023
Edição atual 2.ª
Páginas 224
Apresentação capa mole
Dimensões 145x230mm
Idade recomendada Adultos
Partilhar:
Descrição

«Não é o medo da Morte uma expressão de vida?» Que fazer da vida, e que sentido tem ela, quando a Morte é um facto consumado para todos nós?

Após o falecimento da sua avó, o escritor João Tordo encontrou o fio de luz que une as reflexões contidas neste livro: a sombria, intangível, inevitável, e por vezes até cómica, presença da Morte na vida.

Partindo da música e da literatura – e da relação destas com o Sublime -, João Tordo regressa ao ensaio com um conjunto de textos nos quais explora a relação humana com a espiritualidade e a religião, assim como o medo que nos limita, o optimismo que nos impele, a melancolia que nos afunda e a possibilidade da alegria e da comunhão.

«Essa contradição interna do ser humano – não encontrar lógica na existência, porque a Morte derrota-a, e ao mesmo tempo continuar ligado à vida – é mais propriamente aquilo a que Aristóteles chamava ´espanto´ ou ´assombro´. Se, no início, o Homem se maravilhava diante dos fenómenos mais simples – imaginemos o hominídeo do Paleolítico Superior, com cara de Homer Simpson, a vislumbrar um eclipse, de boca aberta e olhos esbugalhados -, mais tarde, esse espanto transforma-se em pergunta, e a pergunta em dúvida. Entramos no território do pathos, que nos faz questionar o que somos, a razão pela qual aqui estamos e, sobretudo, pela qual permanecemos.»

«João Tordo tem uma capacidade enorme de efabulação que não se encontra facilmente.» José Saramago

«Tal como o Nobel José Saramago, João Tordo põe em questão, com o seu talento, a crença numa identidade própria à qual nós, os humanos, estamos apegados.» Le Monde

«Um romance que se abre em escuridão e labareda, para que nos vejamos ao espelho.» José Tolentino Mendonça (sobre O luto de Elias Gro)

«Uma escrita vibrante, capaz de momentos de grande intensidade expressiva ou de inesperado lirismo.” José Mário Silva, Expresso (sobre O luto de Elias Gro)

«Há-de guardar lugar próprio e intransmissível entre as melhores obras da literatura portuguesa contemporânea.» João Gobern, Diário de Notícias (sobre O luto de Elias Gro)

«Tordo não dá respostas. Alimenta cuidadosamente a ambiguidade, o paradoxo, como se fizessem parte de um silêncio cujo mistério não quer desvendar.» Isabel Lucas, Público (sobre O Paraíso segundo Lars D.)

«João Tordo cria dois palcos contíguos, que equilibra entre o atrevimento cruel que o realismo comanda e o clima introspectivo que dele resulta, conjugados com particular desenvoltura e absoluta eficácia.» Lídia Jorge (sobre O deslumbre de Cecilia Fluss)

«Um romance extraordinário, que se lê à transparência de um talento mais do que confirmado, porventura único entre nós, na primeira linha das vozes literárias da geração a que pertence.» João de Melo (sobre O deslumbre de Cecilia Fluss)

«Uma narrativa com um cunho muito próprio e um dos registos mais pessoais e intensos desta geração.» João Céu e Silva, Diário de Notícias (sobre Ensina-me a voar sobre os telhados)

«Um romance poderoso, inquietante e profundamente lírico.» Helena Vasconcelos, Público (sobre Ensina-me a voar sobre os telhados)

Do mesmo autor

16,96 

O bom inverno

16,97 

O nome que a cidade esqueceu

19,76 

Cem anos de perdão

17,50 

Ensina-me a voar sobre os telhados

14,94 

O livro dos homens sem luz

12,21 

Hotel Memória

16,60 

O deslumbre de Cecilia Fluss (Trilogia dos Lugares Sem Nome 3)

17,50 

As três vidas

14,99 

O paraíso segundo Lars D. (Trilogia dos Lugares Sem Nome 2)

15,71 

Anatomia dos mártires

Outras sugestões

15,70 

A Devastação do Silêncio

15,93 

Materna Doçura

17,50 

As três vidas

19,75 

Águas passadas

13,61 

Conduz o Teu Arado Sobre os Ossos dos Mortos

12,92 

Uma Brancura Luminosa

Artigos relacionados com o autor